Main menu

Biblioteca dos Trolls: As Crônicas de Artur

 Inspirado no post da Lu aqui na Caverna do Troll, sobre o o livro “A menina que roubava livros“, decidi também escrever sobre um livro, na verdade como trata-se de uma trilogia, irei escrever sobre 3 livros. Não se preocupe que não haverá Spoilers.

 “As Crônicas de Artur” foi escrita por Bernard Cornwell, se você é um nerd que se preze ou tem interesse por história em geral, e não conhece pelo menos uma obra do Cornwell, então revise com muita urgência qual será o seu próximo livro a ser lido.

Cornwell retrata a lenda do famoso Rei Arthur – com exceção do título do livro que não tem “H” no Arthur, os demais lugares que eu citar o nome vou escrever com “H”, pois enriquece e encorpa mais o nome e eu prefiro assim. – misturando a mitologia Arthuriana com ficção, como por exemplo Derfel, o protagonista das crônicas.

 A trilogia é composta pelos seguintes títulos:

– O Rei do Inverno – sendo esse título o foco desse post de hoje
– O Inimigo de Deus
– Excalibur

O cenário base de “O Rei do Inverno” é em uma época pós domínio do império Romano em que a Grã-Bretanha torna-se um lugar difícil para viver, pois além das invasões
anglo-saxã e irlandesa, sofre com disputas internas de poder entre a religão Druida e o Cristianismo.

O livro traz religião, política, traição, tudo o que mais me interessa,” explica Cornwell.

Religião Druida pode-se entender também como “bruxos”, e aí já aparece um personagem muito famoso chamado “Merlin”, um druida interesseiro, objetivo, irreverente e até mesmo arrogante, o qual as histórias “Disney” e muitos contos, retratam ele como um Mago, estilo Gandalf, Elmister e etc… #SQN

A história é narrada por Derfel Cadarn (pronuncia-se Dervel), um saxão que escapou da morte quando criança e foi adotado por Merlin – Derfel é um dos meus personagens preferidos das obras literárias em que eu já li. Foi uma grande sacada de Cornwell retratar uma lenda na visão de um personagem fictício, com isso tinha liberdade para evoluir o personagem como desejasse.

O que muita gente também não sabe é que uma das versões da lenda Arthuriana (sim, existe mais de uma versão), conta a história de um homem conhecido como o “Rei Arthur” porém ele nunca sentou ao trono e usou uma coroa, sendo essa versão contada por Cornwell.

Aqui Arthur era o guerreiro mais temido da época sim, ainda mais quando aparecia o seu exército com os temidos cavalos “gigantes”, porém como ele era o filho bastardo do Rei Uther Pendragon, ele não foi escolhido para ser o rei. Uther escolheu o seu neto e sobrinho de Arthur, “Mordred”, o qual tinha acabado de nascer no mais rigoroso inverno Winter is coming, – sendo esse o motivo do nome do livro.

Arthur, um homem sempre justo e leal, jura proteger o reino e o seu sobrinho até que o mesmo pudesse tomar as verdadeiras decisões de um rei. A partir daí Derfel acaba entrando para o exército de Arthur, tornando-se um dos seus principais guerreiros.

No próximo post vou falar um pouco sobre o segundo livro – “O Inimigo de Deus”.

[]’s do Troll Teilos

Aficionado, colecionador, jogador e vendedor de Jogos de Tabuleiros. Jogador e Mestre de RPG (principalmente D&D) e de games em geral (FPS, Futebol, Aventura, Estratégia...), mas com preferências de jogos multiplayer! Fã de filmes como Senhor do anéis, O Hobbit, Gladiador, Coração Valente... E de histórias, livros, filmes, miniaturas ou qualquer outra coisa sobre Dragões! " E que as nossas barbas nunca fiquem ralas"!

Website: http://www.cavernadotroll.com.br

  • Renan

    De todos os livros de bernard esse é o que menos gosto. Não é questão de ser ruim, é muito bom, mas o personagem principal o tempo todo é feito de idiota por todo mundo. Merlin, Nimue e até mesmo o Arthur usam e manipulam o cara d+.

  • Paulo Dtê

    Sem dúvida a série que eu mais gostei de ler. Foi a minha primeira do Cornwell, então foi inesquecível, o contato com os soldados de verdade, sem romantismo, a minha primeira parede de escudos no Vale do Lugg, os personagens fortes, a desconstrução do Lancelot herói, o Merlin “humano”, entre outros que fazem dessa série uma das imperdível. Ah Derfel, como o Cornwell é injusto e que final melancólico, assim como toda a mistica que envolve esse que é um dos personagens mais misteriosos dos contos, Artur! E que o Urso da Bretanha continue massacrando os inimigos!

FacebookTwitterGoogle+RSS
{lang: ''}