Main menu

Biblioteca dos Trolls: Cidades de Papel

Olá Trolls! A primeira dica de leitura do ano traz o autor John Green, com as suas Cidades de Papel. Esta história é narrada por Quentin Jacobsen – mais conhecido como Q. – e grande parte dela acontece quando os personagens estão na adolescência e prestes a se formarem no ensino médio.

Q. é vizinho de Margo Roth Spiegelman, garota com a qual passava a maior parte de seu tempo quando era criança. Quando eles tinham 9 anos, encontraram um corpo em um parque, o que aguçou a curiosidade de Margo, que acabou descobrindo quem era a pessoa e o porque de sua morte – ela sempre gostou de um mistério.

IMG-20140102-WA0000

Já na adolescência, Q. é o garoto nerd, na dele e com poucos amigos – eles dão o toque de humor à história e tocam em uma banda. Já Margo transformou-se na garota popular do colégio, mas, ainda assim, ele é apaixonado por ela e a considera “o máximo, literalmente”.

Até que em uma noite, Margo – com cara pintada e moletom de capuz preto – aparece na janela de Q. e o chama para ajudá-la com algumas vinganças que havia preparado após descobrir algumas mentiras. Ele não cede de primeira, mas depois de alguma conversa, ela consegue convencê-lo e eles rodam madrugada adentro realizando todas as suas ousadas vinganças.

Depois de tudo, Q. vai para a escola perguntando-se como Margo se comportaria perto dele, porém, ele descobre que a garota sumiu – mais uma vez. Parece que esses sumiços são normais para Margo, o que faz com que seus pais – já saturados – nem se esforcem tanto para localizá-la, além do mais, agora ela já é maior de idade e pode decidir não voltar para casa.

No entanto, Q. se importa com ela e descobre algumas pistas que fazem com que ele acredite que ela tenha deixado indícios de onde encontrá-la exclusivamente para ele. Com isso, com a ajuda de seus amigos, entra em uma aventura para localizar a sua deusa. Nesse percurso, ele acaba descobrindo coisas que quebram a imagem que ele construiu da moça e ainda, o faz perceber que não a conhece de verdade.

É uma leitura leve, com pequenas doses de humor e suspense, e que traz uma reflexão: as pessoas podem mostrar apenas a sua superfície e não a sua real essência, o que faz com que os “eu acho” sobre uma pessoa sejam totalmente desfeitos.

Você deve estar me perguntando, o que quer dizer “Cidades de Papel”, bem, eu prefiro que você descubra lendo o livro, vai ficar bem mais interessante.

Ficha Técnica
Título: Cidades de Papel
Autor: John Green
Ano: 2013
Editora: Intrínseca
Páginas: 361

=) Até a próxima.

Uma aventureira que aceitou o desafio de se tornar uma blogueira - mas que ainda acha que não nasceu para isso.

  • http://www.tabulandia.com.br Felipe Ambrosio

    Gostei que o livro cita a Caverna do Troll \o/

    • Lu

      Agora tem que ler para descobrir o porquê a Caverna está lá. 😛

  • http://pipocamusical.com.br Raquel Moritz

    Que legal a resenha, Lu!!! Eu li esse livro ano passado e adorei! Gosto muito dessa coisa de enxergar as pessoas de outras formas. A Margo é impressionante, ótima personagem. O ponto alto do livro, pra mim, foi usar Whitman como base (lembra do ‘Capitão, oh meu Capitão’, do fime A Sociedade dos Poetas Mortos? É dele!). O poema é lindo (tem 40 páginas no original…….) e gosto especialmente da parte que o Q. diz que está lendo Whitman pra entender a Margo e não o Whitman. Essa é a essência. :)))

    Ótima dica! Beijo!

    • http://www.cavernadotroll.com.br Puri

      Não li o livro, então não tenho como pegar a referência hehheheh, mas eu lembro sim do filme A Sociedade dos Poetas Mortos e é um baita filme, eu diria que um dos melhores filmes que existem, pois é aquele q te faz pensar. Sinto falta de filmes assim hoje em dia hehehe.

      Valew Raquel!

      • Lu

        Eu te empresto o livro 😛

    • Lu

      Também gostei do livro Raquel!!
      As referências são ótimas e a Margo realmente é impressionante, tem uma imaginação… hehe. Além disso vi nela as inseguranças da adolescência, a necessidade de ser aceita.
      Mas o ponto alto pra mim, foi a parte que eles partiram em busca de pistas para poder encontrá-la e a ida a campo efetivamente (até porque essa coisa de mistério é mais o meu estilo hehe).
      =)
      Beijo

FacebookTwitterGoogle+RSS
{lang: ''}