Warning: Parameter 1 to wp_default_scripts() expected to be a reference, value given in /home/caver963/public_html/wp-includes/plugin.php on line 579

Warning: Parameter 1 to wp_default_styles() expected to be a reference, value given in /home/caver963/public_html/wp-includes/plugin.php on line 579

Warning: Parameter 1 to wp_default_scripts() expected to be a reference, value given in /home/caver963/public_html/wp-includes/plugin.php on line 579
TrollCast #42 - Como Criar o Hábito da Leitura - Caverna do Troll

Main menu

TrollCast #42 – Como Criar o Hábito da Leitura

Saaaaaaalve Trolls! Está no ar mais TrollCast e hoje vamos dar dicas de como criar um hábito da leitura! Hoje, Felipe Ambrosio, Raquel Moritz (Pipoca Musical), Juliana Lima (Nuvem Literária) e Puri se reúnem para dar dicas, conversar sobre livros, falar curiosidades e bizarrices. Clique no play, faça seu download e divirta-se!

Informações do TrollCast
01:04 hr – 96kbps – 47Mb
Ouça direto aqui o TrollCast


Clique com o botão direito em Download e escolha “Salvar link como…”

Comentado neste TrollCast
Omelete du fromage

TrollCasts anteriores
TrollCast #41 – Smartphones
TrollCast #40 – A Vida Secreta de Walter Mitty

TrollCast #39 – Encerramento 2013

TrollCast #38 – O Hobbit: A Desolação de Smaug
TrollCast #37 – The Last of Us

Todos os TrollCasts

Assine nosso Feed! Assine nosso Itunes Email Assine nosso canal do YouTube Curta nossa página no Facebook Siga-nos no Google+ Siga-nos no Twitter

[]’s do Troll!

  • http://pipocamusical.com.br Raquel Moritz

    O “bizarrices” foi pra mim, que leio na fila do Burger King? HAHEHEHE

    • http://www.cavernadotroll.com.br Puri

      Hehehehheh neemmmm 😛

  • Angelo Tinti

    Bacana o trollcast. Realmente é complicado adquirir o hábito de leitura quando se tem tanta coisa em volta pra atrapalhar, mas o negócio é persistir.

    Um comentário que acho válido à respeito de audiobooks é que é uma boa prática pra quem tá querendo melhorar o vocabulário, pronúncia e entendimento em outras linguas, escutar o audiobook enquanto acompanha o livro. Uma técnica que é chamada de Shadow Reading.

    E um ponto bacana quanto à isso é que, se você for adquirir livros em outras linguas, dá pra comprar de fora sem medo de ser feliz, porque livros se encaixam na categoria cultura, e portanto não tem cobrança de impostos em cima.

    Se bem que é difícil você comprar livros de fora e ultrapassar o limite de 100 dólares em uma comprar né, hehehe.

    Ótimo cast.

    • http://pipocamusical.com.br Raquel Moritz

      Legal teu comentário, Angelo!

      Eu comprei ‘Fortunately the Milk’ do Neil Gaiman ano passado e, assim que o livro chegou (sem impostos, por conta do que você falou, aleluia), consegui o audiobook do livro. Fiz esse ‘Shadow Reading’ (não conhecia o nome) e achei fantástico. Realmente ajuda, agora sei falar ‘astonishingly specific’, graças ao Neil, aheuaehuaehae.

      :)

    • http://www.cavernadotroll.com.br Puri

      Show de bola Tinti, não conhecia essa técnica de Shadow Reading. E a dica de comprar no exterior é muito boa também, também não sabia que livros eram livres de impostos :)

  • FeroZ

    Leitura é um hábito espetacular. É difícil de se começar, mas muito prazeroso de se manter.

    Eu comecei com a clássica coleção Vagalume, ainda na época de escola, bem pequeno. Adorava livros como O escaravelho do Diabo, Na mira do Vampiro, A ilha perdida, etc; mas justamente por serem livros pequenos e fáceis de ler.

    Após isso, me lembro que achei escondidos no meio de um armário velho do meu falecido avô, vários livros velhos de contos dos Irmãos Grimm; livros que nem meu pai sabia que existiam. Achava ótimo passar horas selecionando e lendo aqueles contos fantásticos, que sempre tinham uma lição para passar.

    Mas pelo que me lembre, o primeiro livro “maior” que li (ainda bem jovem), e acho que aquele que me definiu como um leitor, foi O homem que matou Getúlio Vargas, do Jô Soares. Achei a história fantástica, e me mostrou que livros “grandes” também podiam ser interessantes.

    Em seguida, procurando livros com a mesma temática, e ainda muito jovem, passei com uma experiência de amor e ódio com o livro Agosto, do Rubem Fonseca. Achei o livro excelente, mas o final quase me mata de raiva; talvez por eu ainda ser muito novo quando li. Na época detestei, mas hoje em dia entendo melhor.

    Procurei livros com temáticas distintas, até ganhar de minha irmã os 2 primeiros Harry Potter. O primeiro, era ainda primeira edição, onde a fonte na capa ainda nem era estilizada com o raio no “H”, e o Draco Malfoy foi traduzido pra Drago, não sei o porque. Fiquei fascinado com aquele mundo fantástico, e descobri que meu gênero favorito era realmente o de fantasia, principalmente com toques mágicos. (Só para constar, li todos os livros e ainda os tenho, sempre tentando faze-lo antes de ver os filmes.)

    Ganhei o Hobbit, li e achei fantástico. Foi o que me motivou a ler Sr. dos Anéis. Aí sim eu pirei. Nunca um livro tinha incentivado tanto minha imaginação quanto essa obra fantástica. Apesar de o começo ser realmente arrastado (não a parte da floresta, mas até a parte do Tom Bombadil) o resto compensou. Inclusive, a jóia da minha coleção de livros é uma edição de colecionador, com capa dura (preta), folheada em ouro, e numerada, da qual só foram publicadas 10.000 edições no mundo inteiro (a minha é a 9652). Depois me restou buscar o Silmarilion, Contos inacabados e, mais recentemente, Filhos de Hurin.

    Enfim depois disso foi uma enxurrada de livros de fantasia, fantasia histórica, e ficção científicas; as vezes com tudo misturado.

    Lembrando agora os autores e livros que li, vejo que já passei muita coisa com meus personagens favoritos. Hoje em dia, já li praticamente de tudo. De Duna a Fundação, de Arthemis Fowl a Trilogia do Graal. Enfim, uma infinidade de histórias e personagens…

    Parando pra pensar, acho que o que facilitou é que desde cedo eu gostava muito de histórias em quadrinhos (comecei com turma da Mônica, mas logo migrei pra Disney e depois DC, Marvel, etc). Chegou ao ponto que as HQs eram muito curtas e já não satisfaziam minha vontade de ler, pra passar o tempo ou me entreter mesmo. E foi daí que comecei a buscar os livros.

    Enfim, acho que é uma boa dica, incentivar as crianças desde pequenas com HQs, e depois mostra-las livros com bastante ilustrações, e ir migrando aos poucos pros livros mais casca grossas.

    Bom, é isso. Desculpem o comentário gigante. Só queria mesmo compartilhar minha história como leitor com vocês. E dizer que eu não confio em uma pessoa que diz não gostar de ler. Normalmente é alguém que nunca nem tentou. hehe

    Um grande abraço.

    • http://pipocamusical.com.br Raquel Moritz

      Há, que comentário maneiro. Gostei muito! Especialmente da parte que fala que você não confia em quem não lê. Como confiar, né? HAEHAEHAE :)

      Existem muitos livros que incentivaram a leitura das pessoas, e aí falamos de clássicos que conquistaram as pessoas e estão aí, completamente atemporais, e também falamos de ondas mesmo: Harry Potter, Crepúsculo, Zumbis, 50 Tons (destes três ultimos não gosto, mas tem quem goste e tem quem começou a ler por causa disso, então pra que encrencar?). Monica é unânime, eu acho. Não conheço uma alma brasileira que não tenha citado as histórias do Mauricio de Sousa em algum momento. ♥

      E acho que não sou a única quando digo que fiquei curiosa pra ver sua edição numerada do Tolkien. Compartilha um link aí pra gente ficar namorando? 😀

      Abraço! :)

      • FeroZ

        Olá Raquel. Segue aí: https://imageshack.com/a/qBrq/1

        O Puri tem uma também! Maneiro.

        • http://www.cavernadotroll.com.br Puri

          Vamos trocar figurinhas, segue as fotos da minha edição também:

          http://bit.ly/1k97z31
          http://bit.ly/1k97Hzq

          • FeroZ

            Boa Puri… A minha eu comprei na cagada. Quando iam lançar o filme eu procurei o livro e tinha umas 10 versões na loja virtual que procurei. Acabei escolhendo essa por ter capa dura e ser mais discreta. Nem sabia que era edição especial, numerada e tudo mais. Eu tinha 15 anos só. haha

          • http://www.cavernadotroll.com.br Puri

            Cara, história bem parecida hehe. Eu já tinha lido A Sociedade do Anel, mas era emprestado e aí fui atrás pra comprar e achei esta versão completa e também comprei sem saber que era uma edição comemorativa.
            E olha que eu devia ter uns 14/15 anos também.

          • http://pipocamusical.com.br Raquel Moritz

            AI QUE MANEIRO ♥

    • http://www.tabulandia.com.br Felipe Ambrosio

      E aew FeroZ, bom revê-lo aqui na Caverna novamente :)
      Kra, super bem lembrado sobre os livros da Vaga Lume, como você comentou, era livros pequenos e muito bons realmente.

      Nem preciso dizer tamanho da inveja da sua coleção de LoTR heim!?!??! Que doidera kra!
      Sobre crianças, com certeza quero aos poucos ir levando as HQ para o meu “bacuri”, começando com Monica, e depois migrando aos poucos.

      []’s

    • http://www.cavernadotroll.com.br Puri

      Excelente comentário Feroz, valeu! E uma coisa, a minha edição do Senhor dos Anéis comemorativa é a de 5669!!!

      Também acho que começar com HQs e gibis ajuda bastante as crianças a tomar gosto pela leitura. Eu lia muito Turma da Mônica quando criança e depois fui amadurecendo com o passar do tempo.

      • http://pipocamusical.com.br Raquel Moritz

        Tbm tenho uma edição numerada, mas é de Coraline, do Neil Gaiman. Eu sei que ele ainda tá vivo, mas enfim, só pra não me sentir excluída. AHEUAHEUAE 😛

        • http://www.cavernadotroll.com.br Puri

          hehehehhe bem vinda ao grupo então dos que tem livro com edição numerada 😛

          • http://www.nuvemliteraria.com Juliana

            Será que eu sou a única que não tem edição numerada? Poxa, mimimi. :'(

          • Puri

            Hhehehe, se quiser eu vendo a minha. Brincadeira, não vendo não :)

    • http://www.nuvemliteraria.com Juliana

      Uau, que comentário TOP. Adorei :)
      Sua história de leitor é excelente, me fez até ficar com invejinha! Não tive tanta sorte quanto a achar livros perdidos, escondidos em um armário em casa, infelizmente mesmo.
      Meu gênero favorito hoje em dia também é Fantasia e coisas nesse sentido, pois adoro histórias que envolvem magia, mitologia, outros seres, outros mundos, acho fantástico!

      Ótima dica para os iniciantes mesmo, começar com gibis, HQs e livros bem ilustrados. De gibis eu só cheguei a curtir Turma da Mônica na época mesmo (como bem mencionou Raquel “Mônica é inânime”), infelizmente não tive contato com Marvel, etc. “(

      Que raridade sua edição de colecionador, hein? Vi as fotos e fiquei com inveja! Hahaha.
      Valeu pelo comentário! 😀
      Abraços!

FacebookTwitterGoogle+RSS
{lang: ''}